sábado, 16 de agosto de 2014

China - Uma História de Oração e Avivamento

          Você já parou para pensar como é uma Igreja em outro país? Como seria arriscar tudo para seguir a Jesus? É o ano de 1949 e a República Popular da China acaba de ser estabelecida. O país agora é governado por um ditador chamado Mao Tse-Tung, ateísta e comunista que busca destruir o cristianismo a todo custo.
           Sem dúvida, o período mais escuro para a igreja na China. Igrejas foram fechadas, pastores aprisionados e Bíblias e livros cristãos foram queimados. Para os observadores de fora parecia que a igreja na China tinha sido aniquilada.


 Após este período de densas trevas, quando os controles foram relaxados e as restrições temporariamente suspensas, cristãos de Hong Kong e de todas as partes do mundo procuraram descobrir se a igreja na China havia sobrevivido tamanha repressão. Todos ficaram pasmos com o que emergiu das cinzas da Revolução Cultural. Noticias de milhões de convertidos por toda a nação começaram a circular. O mais surpreendente de tudo é que as igrejas eram todas caseiras. Se estruturaram assim por causa da perseguição. Era a única maneira segura de se reunir. A igreja na China, como a igreja do Novo Testamento, demonstrou que possuir prédios para se reunir não é essencial para o crescimento e expansão da igreja.
           Estima-se que em 1949 havia cerca de um milhão de cristãos na China, e nos próximo 30 anos que se seguiriam onde sofreram uma perseguição severa,muitos cristãos foram presos, pastores agredidos e Bíblias queimadas aos milhares, em 1979, o número de cristãos chegava aos 10 milhões e logo esse número dobrou para 20 milhões.
            
         
      Mas como esse avivamento começou mesmo com uma severa perseguição?Relatos da China dizem que apenas uma coisa de se destacava: a quantidade de tempo que os chineses passavam em oração! Mas eles não oravam pelo seu próprio sofrimento, eles oravam pelo seu país, eles oravam para que um avivamento chegasse a China. Foi então que o avivamento começou. Com oração.
        Uma coisa que impressiona nesse avivamento é que com Mao Tse-Tung no governo nem todos participaram desse avivamento. Ele foi feito por jovens. Jovens que não apenas enxergavam os problemas do comunismo, eles também enxergaram plenamente a liberdade que há em Cristo Jesus que nenhum ditador, tirano e opressor pode subjugar.
Pai Nosso em linguagem local
            Haviam milhares de cristãos na China mas o número de Bíblias não era suficiente, foi quando a missão Portas Abertas teve a visão de entregar 1 milhão de Bíblias na China em uma noite, através de oração, trabalho duro e contra todas as chances o projeto Pérola alcançou seu objetivo, mas a sede pela Palavra de Deus permaneceu, nos últimos trinta anos a missão Portas Abertas entregou mais de 40 milhões de Bíblias e literaturas cristãs na China.        
           De posse do material enviado via projeto Pérola os chineses se motivaram a imprimir sua próprias Bíblias na China. Hoje os Cristãos da China produzem cerca de 1 milhão de Bíblias por mês, atualmente estima-se que existam 80 milhões de Cristãos na China e a demanda de Bíblias hoje atende a população cristã do país.
            Mas ainda não acabou, há nova batalhas para vencer, novos objetivos a alcançar e mais pessoas que precisam ouvir  sobre Jesus. Ainda há cristãos sendo perseguidos na China,teoricamente, os cristãos chineses têm direito à liberdade religiosa, mas o espaço para evangelização é limitado. A Constituição afirma que os cidadãos chineses "gozam de liberdade de crença religiosa." Ao mesmo tempo, o Estado proíbe organizações públicas de qualquer religião. Os cristãos não podem se reunir em templos não-registrados e tampouco evangelizar publicamente, não sendo os únicos a ser perseguidos. Em alguns casos, muçulmanos e budistas têm recebido o mesmo tratamento rigoroso dado aos cristãos e é comum que muitas seitas ou grupos religiosos de menor expressão sejam extintos.


             O objetivo principal do governo é manter a estabilidade e o poder. Esta é a principal motivação que está por trás do controle populacional, da reforma econômica e da política religiosa chinesa, que consiste em domínio e opressão. O Movimento Patriótico das Três Autonomias (MPTA), também conhecido como Igreja dos Três Poderes, é a Igreja oficial, controlada pelo Partido Comunista. As igrejas não-registradas recebem ataques esporádicos do governo. A perseguição depende principalmente do grau de perigo que o governo enxerga em cada grupo religioso.
     
           A perseguição ao cristianismo abrange desde multas e confisco de Bíblias até destruição de templos. Evangelistas são detidos, interrogados, aprisionados e torturados. Além da perseguição governamental, as tentativas de evangelizar muçulmanos no extremo noroeste do território chinês têm enfrentado resistência e alguns ataques.
         As leis religiosas que entraram em vigor em 1º de março de 2005 aumentaram a pressão sobre grupos não-registrados, exigindo que se legalizassem ou se preparassem para sofrer as consequências. Além disso, em vez de facilitar o registro, novas emendas dificultaram o processo.
           Mas e se esse avivamento estiver só começando? Mas e se nós orarmos por avivamento em outros países? Avivamento em nosso país? Ore, ore pelos cristãos perseguidos, ore pelos que compartilham nossa fé mas não a nosso liberdade, ore pelas pessoas que vivem com medo simplesmente por seguir a Jesus e ora para que nós sejamos inspirados a fazer a diferença em nosso país, algo que os chineses aprenderam e nos ensinam com seu testemunho  é que quando oramos não há fronteiras, não há prisões e nem portas fechadas.E nunca se esqueça um dos maiores avivamentos da história foi construído a partir de oração.

Inspirado por:
China uma história de oração e avivamento
Avivamento na China
Perfil de país - China - Missão Portas Abertas

Paz do Senhor a todos.

  

1 comentários:

Postar um comentário

Gostou do conteúdo?Comente,sua opinião é muito importante!